1989


Gisela dos Abrolhos,
quem soube decifrar-te
ao ver como seus olhos
corriam pelo encarte?

Ao ver como escolhos
os versos à la carte –
Gisela, pra seus olhos
era a arte pela a arte?

Erraste pelos portos
citando algum Pessoa,
com seus scarpins tortos
em forma de canoa,

seguida pelos mortos
pedestres da Lagoa,
Gisela Desconfortos,
sapatos não tem proa...

*

Dançavas com a bruma
dos becos infestados,
sorveste toda espuma
dos lábios fermentados.

Não há surpresa, em suma,
dos marginalizados
és mais do que mais uma
que dança nos dois lados...

Nenhum comentário:

Postar um comentário