Abril, sol, fones de ouvido
derretendo o pior punk rock,
preciso de grana... cama...
de um choque!

E pego a próxima saída?
pra nada
o dia me serve!... Por que
você é tão triste e calada?

Uma coincidência estranha –
tem alguém que deixa pistas
à margem das conspirações
niilistas...

Porém, vou colhendo seus cacos:
rastro musical que acena
à noite.
Teu pio de coruja, tua pena...

Nenhum comentário:

Postar um comentário