Hoje

Eu sou teu inimigo
mais antigo
desde quando vim nascer...

Eu sou a estranha cobra
que se desdobra
e canta no entardecer...

Quem é que me conhece,
quem me esquece
o corpo e o destino torto?

 Pra quem ainda estou vivo
e muito vivo,
pra quem estarei morto?